Estrelas do meu céu...

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Para evitar... indecisões no futuro


Ao som de "Wasted Years", Maroon 5

E se algum dia eu não conseguir ser mais do que um humano comum (que erra, falha e tenta sempre)
Usurpe de sua memória para seu coração as coisas boas que fiz, faço e farei...

Tente perceber que mesmo entre os erros e as dificuldades, as irritações e discussões
Estou sempre ao seu lado, sendo seu como nunca fui para ninguém

Assim, quando a vontade de me tirar do seu coração bater com força, sufoque e arranque-a!
Mire fundo meu olhar, perceba que me quer como te quero - ou até mais - e aqueça-nos com esse amor
Outrora, quando as muitas luas passarem, perceberemos que fomos mais forte que o medo e a solidão!

(sensação ruim que acordei... mas sei que o amor é muito mais forte!)

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Pedido sentimental nº 2


Ao som de "Insatiable", Savage Garden

Vamos?
   eternidade?
     a
       toda
         por
            feliz
              ser
                e
                  fugir
                    gente
                       a
                         se
                           tal
                             Que

(Entendeu? Não? Então, leia de baixo pra cima! rsrsrsrsrsrs)

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Frase sentimental nº 26


Ao som de "To be with you", David Archuleta

Vem! Estou aqui. Enlace-me e leve-me.. Não me deixe afundar na carência de você, que não te deixo vagar sem rumo para oceano da solidão sem fim...

(tô carente hoje...  :/)

sábado, 11 de agosto de 2012

Momento engraçado nº 2


Ao som de "Maria Mole", Rita Lee

Belo Horizonte, hora do hush!
Ônibus lotado. Leve engarrafamento. Olho para um carro e... ali está. Olho para o seguinte e... também está. Olho para o outro lado do "busão" e... nos carros pareados também vejo...
Não tem jeito! Quanto mais eu rezo pra não ver, mais vezes vejo motoristas, quando parados no sinal ou engarrafamento, com os dedos nos narizes, olhar vago, pensando na vida e retirando a bendita meleca... eca!

(kkkkkkkkkkkkkkkkkkk... fato constante da minha atual realidade)

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Vou na balada pra tirar a camisa!


Ao som de "Vogue", Madonna

A rotina é simples assim:

Acorda cedo, toma uma ducha, engole um café apressado e corre pra rua.
Verifica incontáveis lojas, dos mais variados tipos e gostos, experimenta todas as roupas dos mostruários e quando, em um momento divino, o sol parece brilhar sobre o look perfeito (jeans escura, sapatenis, cinto, nova colônia... atenção mais que especial para a camiseta regata com estampa discreta), não pensa duas vezes e compra tudo em 10 vezes no cartão. O valor? De que importa... o importante é causar!
Volta pra casa com sorriso de orelha a orelha! Antes de almoçar, se veste novamente só pra ter certeza que está perfeito!
Almoça, tira um cochilo, acorda feliz, olha pra roupa com admiração e felicidades sem fim! Toma outra ducha. Vai para o quarto de toalha em volta da cintura, ensaia alguns passinhos ao som de uma música agitada tocada no celular. Veste algo casual e sai pra "tomar umas" com a galera e combinar tudo para "mais tarde".
Risadas altas, bebidas, antigas amizades, NOVAS amizades (muito importantes para mais tarde)... tudo indo nos conformes. Por volta das 18:00 horas, troca alguns telefones e olhares, se despede demoradamente com uma saideira de mais 30 minutos e segue o caminho de casa.
Mais um cochilo (quase um sono completo), banho demorado (like Lady Di) e novos passinhos de dança.
Neste momento a ansiedade toma conta: se perfuma da cabeça aos pés com a nova colônia, mais de uma vez (acho que não dará para mais de 3 semanas), escolhe a cueca que deixa tudo mais sensual, veste a calça como quem faz um streep, meias e sapatenis, arruma o cabelo e, então, veste a abençoada camiseta!
Gira em frente ao espelho excitado. Toma cuidado para ver se o perfume não foi pouco (retoques nunca são demais), olha de novo o cabelo e alisa demasiadamente a camisa.
Uma última olhada, pega carteira, as chaves de casa e saí, dando um beijo apressado na mãe.
Na rua, com um andar de gato se exibindo, liga para todos os amigos com quem marcou e combina um lugar de se encontrarem.
Tudo vai bem! Os olhares comprovam que a escolha da roupa foi acertada. Se permite um sorriso matreiro e um olhar mais safado... "hoje a noite é minha!", pensa sem falsa modéstia!
Na esquina combinada, cumprimenta os amigos, todos com sorrisos satisfeitos de suas escolhas de looks, e andam os metros que faltam para a boate, sedentos por uma noite de dança, diversão e prazer!
A fila é um local de inspeção: anda várias vezes para avaliar o terreno, dando diversas olhadas para memorizar as possibilidades da noite. Entra.
Música animada, fumaça de gelo seco, bebidas, danças, olhares... o corpo se movendo de maneira discontraida e sensual nas batidas da musica eletrônica; mas a noite ainda não está como deve estar.
Um comixão começa a incomodar. A camisa parece pesar, coçar e arder, tudo ao mesmo tempo! Muitos olhares ajudam e a dúvida não aparece: hora de tirar a camisa!
Passa a mão nos musculos, olha safadamente para o mais próximo, molha os lábios e vai à caça.
Agora sim a noite começou...

(para aqueles que compram, ainda não sei porque, e tiram roupas nas baladas... rsrsrsrsrsrsrs)