Estrelas do meu céu...

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Sentindo frio



Quando meus olhos fitam o horizonte e o poente vermelho começa a fazer parte de minha'alma, sei que o frio está chegando. Um frio não incomum, um frio não incomodo... mas ainda assim um frio estranho para mim que deseja tanto o calor. Por muito tempo vivi no frio... não o quero mais!
Mas como se o acaso, que não existe mas faz parte da minha escrita, contrariasse meu desejo, junto com a escuridão própria que me consome trazendo o frio, um vento cortante sopra de todos os lados... forte, fraco, brisa, furacão (esse último com mais frequência), não importa a intensidade, são sempre cortantes.
Esses cortes fazem sangrar meu peito... não, bem mais, meu coração, intima e fielmente ligado à minha alma e, pouco a pouco passo do frio da noite de minh'alma para o frio da secura que me ronda, por si já torturante o bastante para querer o nada...
E goteja meu ser vagarosamente anulando o que sou e quero ser, uma morte de mim incompreendida, num fatidico dia de sol e luz, paradoxalmente.

(Não consigo, por enquanto, definir o que estava sentido...)

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Frase sentimental nº 5



Que meu desejo de ter-te não me enlouqueça, para que meu amor não se perca no nada da vida, assim como tua indiferença não afete teu coração... melhor que dê teu amor para outro, que não eu, que morrer vazio em si, como sempre se mostrou...

(para uma pessoa egoísta)

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Marca musical: Adagio

Olá a todos... sei que estou um pouco sumido, mas tem motivos para isso (explico num outro momento). Contudo, deixo a "Marca musical" de hoje. Apreciem!!!



Adagio (italian)
Dave Pickel/ Lara Fabian

Non so dove trovarti
Non so come cercarti
Ma sento una voce che
Nel vento parla di te
Quest' anima senza cuore
Aspetta te
Adagio

Le notti senza pelle

I sogni senza stelle
Immagini del tuo viso
Che passano all' improvviso
Mi fanno sperare ancora
Che ti trovero
Adagio

Chiudo gli occhi e vedo te

Trovo il cammino che
Mi porta via
Dall' agonia
Sento battere in me
Questa musica che
Ho inventato per te

Se sai come trovarmi
Se sai dove cercarmi
Abbracciami con la mente
Il sole mi sembra spento
Accendi il tuo
nome in cielo
Dimmi che ci sei
Quello che vorrei
Vivere in te
Il sole mi sembra spento
Abbracciami con la mente
Smarrita senza di te
Dimmi chi sei e ci credero
Musica sei
Adagio


Tradução:
Adagio (italiano)
 
Eu não sei onde encontrar você
Eu não sei como procurar você
Eu ouço sua voz no vento
Eu sinto você sobre minha pele
Dentro do meu coração e da minha alma
Eu espero por você
Adagio

Todas essas noites sem você
Todos os meus sonhos envolvo você
Eu vejo e toco seu rosto
Eu caio nos seus braços
Quando o tempo é certo, eu sei
Você estará em meus braços
Adagio

Eu fecho meus olhos e encontro um caminho
Não precisa rezar por mim
Eu andei tanto
Eu lutei tanto
Nada mais a explicar
Eu sei que tudo o que restará
É um piano que toca

Se você sabe onde me encontrar
Se você sabe como me procurar
Antes que as luzes se apaguem
Antes que eu perca minha fé
Seja o único homem a dizer
Que você ouvirá meu coração
Que você me dará sua vida
Que você ficará pra sempre

Não deixe que as luzes se apaguem
Não Não Não Não Não Não
Não deixe que eu perca a fé
Seja o único homem a dizer
Que você acredita
Me faça acreditar
Que você não vai embora
Adagio
 
(para um momento de solidão e melancolia)

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Herdeiros do Universo I, A canção antiga


(símbolo da série... vocês vão entender quando lerem o livro)


É incrível como escrever faz bem pra alma: elabora questões, motiva a criatividade, fomenta uma transformação na maneira de ser e fazer o mundo...
A canção antiga, primeiro livro da série Herdeiros do Universo, que estou escrevendo, é um começo de uma nova etapa. Para o leitor será uma aventura excitante, com diversão e mistério; para o leitor atento, será também a oportunidade de me conhecer enquanto ser no mundo...
Para degustação (e também divulgação e procura de uma editora, rsrsrsrs), logo colocarei um link contendo o prólogo e o primeiro capítulo deste meu primeiro filho.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Marca musical: Cupido



A partir de hoje, todas as quartas, colocarei uma música que marcou minha vida de alguma maneira. Deleitem-se!!!

Cupido
Cláudio Lins/ Maria Rita

Eu vi quando você me viu
Seus olhos pousaram nos meus
Num arrepio sutil
Eu vi... pois é, eu reparei
Você me tirou pra dançar
Sem nunca sair do lugar
Sem botar os pés no chão
Sem música pra acompanhar


Foi só por um segundo
Todo o tempo do mundo
E o mundo todo se perdeu

Eu vi quando você me viu
Seus olhos buscaram nos meus
O mesmo pecado febril
Eu vi... pois é, eu reparei
Você me tirou todo o ar
Pra que eu pudesse respirar
Eu sei que ninguém percebeu
Foi só você e eu

Foi só por um segundo
Todo o tempo do mundo
E o mundo todo se perdeu (2x)
Ficou só você eu eu

Quando você me viu...

 Cupido (video) - Maria Rita

(para uma paixão fulminante que me acometeu alguns anos atrás... saudades)

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Frase sentimental nº 4

 
 
Quero um olhar que me faça perder os sentidos, esquecer o calor do corpo, perceber o tremor das pernas, sentir um arrepio na nuca, congelar a barriga, derreter o gelo de meu coração e impulsionar meu salto certeiro e inevitável pelo abismo da paixão para que dele eu nunca mais queira voltar...

(para um momento de desejo e necessidade)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

I choose a mortal life - part I



Já tive tempo pra fazer o que nenhum outro homem jamais fez
Já tive desejo de ser o que nenhum outro homem jamais foi
Já tive oportunidade que sentir o que nenhum outro homem jamais sentiu
Já tive coragem de me entregar como nenhum outro homem jamais se entregou...

Mas do tempo, do desejo, da oportunidade e da coragem
Caracteristicas de um significado puramente meu
Fiz um camafeu ambíguo, que ainda carrego no peito
Uma escolha de dor e uma alegria profundas, contudo sem sentido (às vezes...)

Um símbolo para dizer que meu tempo agora é restrito como de todos os outros homens
Um amuleto  para dizer que meu desejo é inconstante como de todos os outros homens
Uma "tatuagem" para dizer que minha oportunidade é limitada como de todos os outros homens
Uma algema pra dizer que minha coragem é ilusória como de todos os outros homens

E me apercebendo disso na imortalidade que escolhi
Continuo, limitadamente
Temporizando, desejando
"Oportunizando" e lutando... 

(num momento de reflexão)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Frase sentimental nº 3


Quero sentir-me novamente desejado, amado e querido, mesmo que por um instante... quero viver intensamente uma paixão, misturada embrioticamente com o amor! Quero entregar-me de corpo e alma a alguém que assim deseje e, desta maneira, saber intimamente que estou vivo e que posso trazer vida a quem me quiser!!!


(um momento de carência não compreendida)

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Quero um amor assim...

" - Te amo!
- Por que você me ama?
- Eu te amo porque você é meu. Eu te amo porque você precisa de amor. Eu te amo porque quando você me olha eu me sinto um herói... sempre foi assim. Eu te amo porque quando eu te toco me sinto mais homem do que qualquer outro.
- Eu também te amo!
- Por que você também me ama?
- Eu te amo porque quanto eu te toco eu te faço sentir mais homem do que qualquer outro. Eu te amo porque nunca poderão nos acusar de amor. Eu te amo porque pra entender o nosso amor ia ser preciso virar o mundo de cabeça pra baixo. Eu te amo porque você poderia amar qualquer outra pessoa... mas mesmo assim você me ama... só a mim.
- Só... só você!"


Esta foi uma das cenas de amor e entrega mais lindas que eu já vi, me sentido desejoso de viver isso um dia também... sintam e deliciem-se com estas palavras!


(do filme "Do começo ao fim".... perfeito)

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Espero que ele entenda


Algum tempo atrás meu irmão e eu brigamos. Muito mais que as conseqüências físicas de nossas atitudes impulsivas, ficou um arrombo enorme em meu coração ofendido - e acredito que no dele também (não posso dizer ainda o motivo de nossa discussão).
O tempo foi passando e por mais esclarecimento que eu tenha, não é fácil conter a mágoa, principalmente quando ela vem junto com o veneno da indiferença; estamos até hoje sem nos falar, nos limitando (quando nos permitimos essa atitude) a falar o necessário quando há visitas em casa. Nem "bom dia", "boa tarde", "boa noite", "alguém te ligou"... nada!
É uma situação estranha: é como se eu vivesse sob o mesmo teto com um completo estranho, mesmo quando se sabe tanto sobre esse "estranho"; pra piorar - é possível? - sou orgulhoso demais pra pedir perdão...
Não sei como começar, não sei quando fazê-lo, não sei o que dizer caso haja uma oportunidade. E, por mais que todos digam que a vida já é uma oportunidade diária de reconciliação, algo dentro de mim não acha fácil passar por si e fazer o certo.
Percebo todos os dias a tristeza no olhar da minha mãe por mantermos a situação dessa maneira; percebo todos os dias a tristeza nos olhos do meu anjo guardião, a pedir silenciosamente que eu dê o primeiro passo; percebo minha consciência girar o dia todo para essa situação, mas eu não consigo!
E, como presente ou castigo divino, hoje, 10 de agosto, é aniversário do "meu" caçulinha... do meu irmão, que em altura é maior que eu, mas que sempre será "irmãozinho" na minha consideração afetuosa, protetora e paternal. Nem hoje consigo dizer "me perdoe"... nem hoje consigo dizer "parabéns"... nem hoje consigo dizer "eu te amo".
E das inúmeras fotos que temos um com o outro há apenas a lembrança e o desejo, pelo menos da minha parte, da retomada da fraternidade.
Talvez, quando eu for menos orgulhoso, consiga pedir perdão... só espero não ser muito tarde!


(para Emerson, como desejo de felicidades eternas...)

Pra Araxá


Correm os minutos de cada hora
As horas de cada dia
Os dias de cada semana...

Nem acredito que já está chegando a hora!

Correm os estímulos em sinapses organizadas
Desorganizadas ao sabor da ansiedade
Complicadas pelo intenso desejo de se mostrar

Nem acredito que estamos à alguns momentos de embarcar!

Correm os apelos a todos os "santos"
Os pedidos de sorte dos amigos
As orações desesperadas para barrar os inimigos

Nem acredito que tudo pode dar certo!

Corre o vento no rosto para um salto
Os movimentos precisam estar sincronizados
Os passos devem ser precisos

Nem acredito que vamos competir!

As dores serão compensadas, eu sei
Os medos serão dissipados, tenho certeza
Os suores serão evaporados

Vamos dançar, mais uma vez, em Araxá!


(pouco mais de uma semana pro DançAraxá)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Em busca


Tudo me parece difícil ultimamente... acho que me deixei abater pelo cansaço.
Não aquele cansaço saudável, de quando se exercita muito ou se tem várias ocupações; um cansaço de vida, um cansaço de desejar e não conseguir, um cansaço de não conseguir e não querer desejar mais, um cansaço de ter e não ser, um cansaço de ser o que não se é em realidade, um cansaço de não conseguir ser o que se gostaria...
Quando foi que me perdi de mim? O que estava fazendo que era mais importante que eu?
Mas não se preocupem; não faço o tipo suicída. Passou a muito tempo minha crença de que a morte pudesse resolver os problemas (ela nunca pôde e, aliás, sei o que me espera do outro lado). Contudo, ainda preciso descobrir onde está a chave da minha força interior, para finalmente me libertar dos grilhões que me impus, saberá Deus quando, e seguir a diante, pela estrada que me levará para uma felicidade plena.


(curtindo um momento de depressão que logo passará, tenho certeza)

domingo, 8 de agosto de 2010

Frase sentimental nº 2


Quisera eu ter o favor do teu toque para acalentar minh'alma desejosa de ti, mas tudo quanto percebo é que cada vez mais estou conectado à paixão que me consome, sem a verdadeira faceta de uma retribuição que espero, mesmo minimamente...

(para tentar elaborar o desejo e a paixão)

Carinho eterno, mesmo ante a imperfeição


Não consigo ver teu sorriso como gostaria
Mas um homem não fica sorrindo pra todos o tempo todo, né?
Não consigo receber teu abraço como preciso
Mas um homem não deve abraçar em todos os momentos, certo?
Não consigo divisar teu olhar na intensidade que deveria
Mas um homem não deve olhar diretamente e se fazer notado, correto?

E mesmo não percebendo teu sorriso, teu abraço e teu olhar
Sei que intimamente, naquilo que consegue
Me sorri, me abraça e me olha
Com mais carinho do que consigo compreender

E como se não bastasse,
No amor que não compreendo (se é que o mereço) e no respeito que me dignas dar
Oferece-me despretenciosamente o teu conselho, a tua vivência, a tua sabedoria de tantos anos
Na intenção de não me deixar errar como outrora errardes, na esperança de digno caráter me formar...

Muitas vezes fui ingrato, incorreto no pensar e agir infelizmente
Mas posso, num misto de redenção e carinho, plenamente
Dizer-te que amo, Pai
Naquilo que construimos mutuamente...

(para meu Pai, que não é o mais perfeito, mas com certeza é o que mais preciso e amo)

sábado, 7 de agosto de 2010

Frase sentimental nº 1


Me ame, me odeie, me deseje ou me destrua em seu coração, mas, por favor, não me seja indiferente, pois isso sim seria a morte das mortes para minha alma necessitada da sua atenção..


(para um momento de carencia profundo)

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Por que não deixar a Deb entrar na cozinha?


Não resisti e tive que postar mais essa sobre as "Incríveis manotas da Déb" que amo tanto, na cozinha... não riam, se conseguirem.
Ontem o Grupo Iluminar se reuniu pra fazer mais bombons (estamos pensando em abrir uma empresa, porque os pedidos estão aumentando consideravelmente, graças a Deus) e tudo parecia bem: a Jú e a Deb deixaram o fogão para quem entende e ficaram por conta de embalar os bombons.
Parecia que finalmente tinham percebido seus lugares quando, no fim do processo, todos arrumando a cozinha da D. Fátima (nossa patrocinadora e mãe da Jú... AMAMOS VOCÊ TIA FÁTIMA... rsrsrsrsrs), quando a Déb começou a ajudar a meu pedido ("pano de prato na segunda gaveta, Déb...") - admito que a culpa, em parte, foi minha por ter esquecido a inabilidade dessa lindinha na cozinha, mas era muita coisa pra enxugar e precisa de ajuda... aff... - e, secando as panelas, a Déb pega uma panela com gordura e começa a passar o pano de prato, feliz e sorridente como só ela sabe ficar. Foi nesse momento que a Maíra (outra integrante do grupo) disse: "Essa panela está com gordura... ainda tem que lavar..."!
Acabou... não consegui mais ajudar de tanto rir! A Déb ficou sem graça e tentava se explicar: "Mas estava parecendo tanto com água... eu confundi... desculpa gente...". Alguns, em consideração (e com certeza mais evoluídos que eu) não riram, mas também não deixaram de demonstrar que se divertiram com a cena; outros (como Maíra e eu) não aguentamos e caímos na risada!!!
Mas pra não fazerem um mau julgamento da Deb, algumas considerações pertinentes:

1 - Ela é linda e excelente bailarina;
2 - As mancadas podem ser convivio em demasia com a Jú (que em muitas situações parece ser uma "lesada", rs);
3 - Tenho certeza que será uma excelente médica, portanto, terá quem cozinhe pra ela, pois terá dinheiro pra pagar (isso se sobreviver à fome enquanto estiver cursando... rsrsrsrs)
4 - Espero que o namorado dela seja um excelente cozinheiro ou acredito ser importante ele começar a aprender (ou talvez ficar obeso para, no período do casamento, ele perder tudo o que ganhou);
5 - A Déb vai aprender com o tempo, pois ainda é novinha, rsrsrsrsrs...

Bem, como eu, espero que todos os que conhecem essa linda e meiga bailarina NÃO DEIXEM ELA AJUDAR NA COZINHA DA SUA CASA; os estragos serão devastadores...


(a segunda da Déb... kkkkkkkkkkkkkkkkkk... te amo linda)

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Ensinar é aprender sempre


Meu coração está batendo mais forte!
Oficialmente é a primeira vez que vou lecionar para o ensino médio...
Expectativa, ansiedade, desejo de fazer o melhor; medo de falar algo errado, medo de parecer bobo ou severo demais.
Ora, sou filho de professores, irmão de professoras, sobrinho de professoras... sei como é o ângulo de quem escuta sobre educação; sou psicólogo que tenta seguir pela área da educação, então, esta outra faceta eu também conheço. Principalmente sou um eterno aluno e isso me faculta um outro ponto de vista... mas, como será o processo educacional pelo ângulo de quem ensina?
Do pouco que apreendi, compreendi e acredito, educar é um processo interessante e, para mim, dos mais dignos da humanidade. Também é dos mais difícies, pois diz diretamente da formação intelectual (e por vezes moral) de outro sujeito que está, mesmo minimamente, desejoso em apreender, ter base, ter noção, ter algo que lhe direcione os passos.
Sempre que penso nisso o medo me assusta; minha pele se arrepia, fico um tanto incomodado com a situação, porque ensinar para adultos é muito diferente que ensinar para adolescentes (as variáveis são infinitamente diferentes!).
Nessas horas vou na fonte da minha segurança: o "colo" da minha mãe! Pergunto tudo quanto é dúvida, abusando da experiência que ela teve, aprimorando meu cabedal... forçando uma tentativa de parecer menos medroso para lidar com, o que, 40 adolescentes? aff...
Que Deus me guie nessa empreitada...
Que eu consiga, mesmo com o peso da responsabilidade, ser eu mesmo!

(para uma nova experiência de vida)

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Quando a ignorância dá lugar às risadas


Quando fui pra casa da minha amiga Jú, na tarde deste domingo (01/08/10), nunca poderia ter imaginado que fazer bombons pudesse ser tão divertido. Assim, para rirem um pouco junto comigo, farei um breve relato dos acontecimentos, tentando extrair a essência da situação.
Eramos quatro do corpo de ballet do Iluminar (o grupo de dança do qual faço parte) pra fazer bombons pra vender (somos um grupo de dança muito bom, mas todos pobres, kkkkkkkkkkkkkk). Depois de ver D. Fátima lavar a louça e "expulsarmos" os ocupantes da cozinha, começamos todo o processo: fazer recheio(coco e brigadeiro), picar e derreter o chocolate, preparar os vasilhames... nesse meio tempo contavamos piadas e situações engraçadas. Tudo parecia bem se não fosse o fato de a dona da casa, minha amiga Jú, ser uma negação na cozinha; não sabia onde ficava nada, não sabia como utilizar nada. Chegamos a questionar se ela já havia visitado aquela parte da própria casa...
Assim que constatamos intimamente que ela não havia visitado sua cozinha até aquele momento, demos continuidade nos bombons e descobrimos que a Débora, outra bailarina do grupo, também é uma negação na cozinha (onde foram parar as mulheres que sabem cozinhar? Independência de gênero não significa inadimplência doméstica...)... Comecei a ficar preocupado! Será que a Bruna também era assim tão ruim? Graças a Deus não (e graças a Deus que ambos [Bruna e eu] fomos porque senão os bombons não sairiam).
Continuamos a fazer os bombons e para a minha surpresa a Jú era bom em embalá-los; a Débora, por outro lado, nem isso conseguia fazer certo... coitada! Eu tive dificuldade em controlar minha força no embalar dos bombons (os dois primeiros quebraram), mas depois peguei o jeito.
Ficamos com pena da Déb e resolvemos dar uma última chance pra ela: passar as camadas de chocolate derretido nas forminhas. No começo estava tudo bem; acreditamos ter encontrado a facilidade dessa menina linda, mas fomos precipitados. Ela era ruim nisso tb, coitada...
O ápice das risadas, principalmente minhas e da Bruna, foi quando, no momento em que a Déb estava passando o chocolate nas forminhas, a água do "banho-maria" ferveu e começou a derramar. A cena que se seguiu foi mais ou menos assim:
"- Ai, tia Jú, como que desliga isso?" (Débora, pulando de um lado para outro, com o pincel pingando chocolate na mão e as forminhas na outra mão)
"- Ai meu Deus, não sei!" (Juliana, desesperada, tentando mexer em todas as trempes do fogão, que ela jamais ligara ou desligara na vida, também pulando de um lado para o outro)
(Bruna e eu fomos acudir)...
Depois que o perigo havia passado, e, me acabar de tanto rir, parei para refletir um pouco e observando a situação, tirei algumas conclusões:

1 - Melhor deixar a Jú apenas embalando;
2 - Melhor deixar a Déb apenas para lavar a sujeira;
3 - Nem Bruna, nem eu poderemos ficar ausentes nos momentos de fabricação dos bombons;
4 - Vamos começara procurar maridos que saibam cozinhar ou um curso intensivo de cozinha para as duas;
5 - A esperança é a última que morre;

Em suma, foi uma tarde muito divertida, em que o doce do chocolate e da amizade se misturaram ao doce das risadas, extraídas de uma ignorância inocente de duas belas jovens que é melhor Deus não deixar que mexam com cozinha até que aprendam bem o que estão para fazer...

(para Jú e Déb, que amo muito...)