Estrelas do meu céu...

domingo, 31 de julho de 2011

Diálogo esperado nº 2


Ao som de "Destinos", Sandy e Junior

- Tem certeza que chega lá? - pergunto desconfiado, um tanto medroso.
- Sim senhor. Nunca errou o caminho. - diz orgulhoso o conferente.
- Isso é pior! - meu medo crescendo - sempre tem uma primeira vez...
- Nesse sentido, nunca errará - passou o motorista, com um sorriso confiante.
- Tudo bem... - disse sem perceber.
- É sua primeira viagem? - quis saber interessado, enquanto guardava minhas malas no bagageiro em cima.
- Não, mas é a primeira sozinho... vamos nos encontrar lá. É estranho fazer isso? - meu medo apertou com mais força.
- Que eu saiba sim. Geralmente viaja-se acompanhado... - disse espantado o conferente.
- Mas, na próxima estação, subirá... - tentei explicar (para mim mesmo), sem muito sucesso.
- Tudo bem, tudo bem... sente-se e aproveite a viagem. - falou firme o guia.
- Ela é muito demorada? - tentei manter a serenidade.
- Ah, isso é muito relativo - começou o conferente - para quem está acompanhado, dizem que não demora nem um minuto. Para você que está sozinho, acredito que posso parecer a eternidade...
- Pode me servir um pouco de café com leite bem quente? - pedi quase desesperado.
- Posso... mas não é necessário. Algo me diz que a felicidade lhe sorri na próxima parada...

Fechei os olhos, cruzei os braços e me perdi no balançar do trem amor, esperando que quando chegar no coração, já tenha havido o embarque que espero e eu esteja sendo acariciando para acordar para a felicidade sem fim...

(espero não demorar muito)

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Café com leite


Ao som de "Nem um dia", Djavan

Meu celular tocou no criado ao lado da cama e, se não estivesse com muita preguiça, jogaria-o do outro lado do quarto, na parede se possível, para evitar que ele continuasse tocando. Depois, com certa dificuldade, lembrei que paguei caro nele e me conformo em apenas desligar o despertador.

"Que vontade de continuar deitado", penso entre um bocejo e um espreguiço!

Me rendo à vontade e continuo na cama mais um pouco, cochilando acordado, querendo ficar deitado mas com remorso de atrasar as tarefas do meu dia.

"Ah, fala sério... não posso dormir até tarde nem na minha semana de folga?" - penso um tanto indignado.

As várias mensagens que começam a chegar atestam que NEM na folga posso dormir até mais tarde. Rio gostosamente, esfrego os olhos e levanto.
Habitos de todas as manhãs se seguem assim que levanto: oração sincera à Deus (hoje chorei uma amargura que não consegui resolver ainda); promessa de que vou arrumar meu quarto, principalmente a escrivaninha essa semana (espero sinceramente conseguir cumpri-la essa semana); escovar os dentes, evitando olhar o cabelo que também prometo ir cortar, mas nunca encontro tempo (hoje eu vou...); por o leite para esquentar, colocar a dose exata de café na MINHA caneca azul (desculpem, sou meio possessivo com todas as minhas canecas), preparar um misto de queijo (digo misto por ter dois tipos de queijo, rs)... tudo aparentemente normal.
Mas ainda estava perdido em mim. Como bom psicólogo, acredito posso dizer "emocionalmente abalado". Não gosto de me sentir assim... me sinto frágil. Sei que não é ruim ser frágil, mas gostaria de ter alguém para me proteger nesses momentos! É aí que a solidão aperta e que relembro as promessas feitas e nunca cumpridas e outras tantas que tenho medo não se cumpram.
- Seu café vai esfriar - repreende carinhosamente minha mãe, ao ver que estou parado, com o café à minha frente, divagando...
- Ah, tá... - é o que consigo dizer (pelo menos acho que disse isso)

Ela passa por mim, com as roupas para lavar, afaga minha cabeça, e vai para o terreiro.

"Meu café vai esfriar...", disse minha mãe. Profecia ou banalidade? Como saber! Tenho medo que esfrie (tanto o café, quanto o coração)... é melhor tomá-lo rápido (assim como encontrar-te depressa)...

Mas meu pensamento continua subindo com a fumacinha do calor do Café com Leite que preparei para mim e que, agora, não estou nem um pouco interessado em tomar... prefiro outro calor!

(outro diário explicito... rsrsrsrs)

domingo, 24 de julho de 2011

Entre chapéus e véus


Ao som de "Forgiven, not forgotten", The Corrs

Estranho me sentir só em meio a tantas pessoas. Mais estranho é perceber este sentimento em uma festa de peão. Não pela festa em si... não pela festa, como um todo. Apenas estranheza. Daquelas que vem sem que queiramos e, ao mesmo tempo, sem que mandemos embora, tampouco. Eu estava só! Muito pode ser dito nessa frase e, o que mais gosto, nada, também!
Era bom - e ruim - passear entre as pessoas sozinho, atento "na desatenção" dos olhares que recebia: ora furtivos, ora desejosos, ora indiferentes, ora divertidos (de uma diversão que não tinha nada a ver comigo, mas que meu abalo dizia: "é de você que estão rindo"). Ainda ouço o eco da gargalhada malvada de meu pensamento "boicotante".
Nada prendia minha atenção, talvez um rosto aqui ou ali que parecesse com aquele que eu queria estivesse ao meu lado. Infelizmente não estava... e por isso, talvez, a solidão.
Por que também não lancei olhares desejosos e sapecas para conseguir algo? Ah, não faz muito sentido quando se está apaixonado! Parece que a vida gira em torno desse outro, mesmo ausente, e a fidelidade algema-nos qualquer intenção, graças a Deus...
Mais passos para o "não me interessa", mais desvios de rota na imensidão humana do parque de exposições. Que horas vai começar esse show? Era o que sempre me perguntava, a cada dez minutos, olhando o relógio.

- Desculpe, estou esperando alguém - mentia sem pudor às aproximações.

"O que cada um esconde debaixo do seu chapéu?", de repente a dúvida me assaltou. Percebi logo que a pergunta tinha a profundidade de um Iceberg. Não queria saber dos tipos de cabelo ou corte (se bem que alguns dos que vi poderiam ter sido tampados por chapéus, rs); quero o pensamento que evola, mesmo que um perigo eminente.
Quero penetrar na intimidade dos outros para tentar salvaguardar a minha; quero entender o que se passa nos pensamentos humanos, que se misturam com os desejos, e com os sonhos, e com as realizações, e... para, enfim, saber que caminho percorrer na descoberta de mim...

- Olá! Pois é... gosto das músicas dela! Acho que vai ser um bom show... Não, não, estou acompanhado. Obrigado pelo convite... nos topamos! - novamente me esquivava, até dos conhecidos. Era bom - e ruim - estar sozinho em uma festa de peão... acho que faltava alguém!

Queria penetrar nos pensamentos e descobrir um que me alheasse da sua ausência... queria saber que sou seu pensamento, e poder ficar feliz e leve no show, e curtir as músicas romanticas abraçado a mim mesmo... mas acho que já sou grandinho para sonhos infantis!
Forgiven, not forgotten... é... traduz bem o que eu quero e estou vivendo numa festa de peão! Acho que vou comprar um chapéu também!

(diário explícito desta vez)

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Frase sentimental nº 22

 

Ao som de " You're the one that I want", Olivia Newton-John

Faz do meu coração templo da sua esperança, berço do seu tesouro, força da sua vida e casa da sua morada. Contudo, não faça dele de rede do seu descanso, se tal descanso não for para a eternidade!!!

(que seja eterno)

domingo, 17 de julho de 2011

Visão de menino


Ao som de "Esconderijo", Sandy Leah

Quando menino eu queria ser "restaurantista", policial, pai de família, Cavaleiro do Zodíaco (o de Libra, de preferência), poketreinador, profeta, mágico, ourives (influência de meu pai), "Senhor" dos ventos, artista circense, milionário, faxineiro, médico, dançarino, ator, modelo, arquiteto, decorador, designer, desenhista, escritor...
Quando menino queria transformar a vida de quem sofre, com o simples desejo da minha vontade e, é claro, não sofrer, por nada, nem para ir ao dentista! Queria abrir as portas de minha casa para todos que quisessem entrar e seriamos amigos para sempre!
Quando menino eu queria entender o que mamãe e papai falavam sobre responsabilidade e inteligência (e todas as outras virtudes, nas longas conversar e xingos que tinhamos) e aplicar tudo, para que eles ficassem felizes comigo. Queria ser mais próximo dos meus irmãos e irmãs e não apenas observa-los...
Quando menino eu queria ser e ter tudo o que hoje não tenho e, estranhamente, não me arrependo (de tudo). Percebo que sou diferente em muitos quesitos, principalmente em relação ao que o mundo espera de mim.
Mas, mesmo menino, eu queria amar!
E acho que isso eu faço, mesmo que muitas vezes não receba de volta da maneira que gostaria...

(para mim... é bom de vez em quando!)

sexta-feira, 15 de julho de 2011


Ao som de "Ida nem volta", Sandy e Junior

Inebria-me de ti!
Sê nectar de essência...
Sê dogma de existência...

Aprisiona-me em ti!
Sê carcere privado de prazer...
Sê algemas douradas de querer...

Dilata-me em ti!
Sê calor de vulcão de desejo...
Sê frio de intenção que almeja...

Reconstroi-me para ti!
Sê quinhão de realidade...
Sê base de verdade...

Redesenha-me a partir de ti!
Sê escrita inapagável no coração...
Sê traço de contorno infindável na emoção...

Vive-me em ti!
Assim, sendo "um" contigo,
Tenho razão para ser um em mim para viver de e para ti...

(está incompleto... de muitas maneiras...)

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Em fogo brando


Ao som de " Faithfully", Journey

Ingredientes:
7 xícaras bem cheias de "Carinho" em pó
3 xícaras de "Observação Cuidadosa" granulada
2 xícaras de "Bem-querer" líquido fervendo
4 latas grandes de "Ajudua Mútua"
5 gomas fortes de "Fidelidade" (não triture para evitar erros na receita)
3 cravos pequenos de "Cuidado" (se for a versão "ciume", coloque apenas um)
1 pitada de "Desinteresse"
3 doses rasas de "Discussão"
1 saco inteiro de "Desejo" granulado
10 colheres de "Paciência"
7 xícaras de "Criatividade-Constante" recém picadas
10 favos de "Lembranças"
1 barra média de "Memória"
3 pedaços de "Presentes sem motivo"
3 colheres cheias de "Sonhos"
3 garrafas de "Planos, Trabalho e Realizações"
2 pedaços cremosos de "Aceitação" (se parecer pouco, coloque no máximo mais um, para não melar)
1,5 sopro de "Implicância"
6 xícaras de "Diversão"

Modo de Preparo:

Comece misturando o "Carinho", o "Bem-querer", uma garrafa de "Planos, Trabalho e Realizações" e a "Fidelidade"; não pare de mexer. Acrescente aos poucos a "Observação cuidadosa", a "Diversão", a "Ajuda Mútua", o "Desejo", a "Implicância", o "Cuidado" e a "Memória". Deixe descansar por algum tempo.
Quando estiver bem grande, daquele tamanho que geralmente não esperamos, acrescente a "Criatividade-constante", os pedaços de "Presetes sem motivo", a "Paciência", a "Discussão", o "Desinteresse" e mais uma garrafa de "Planos, Trabalho e Realizações" para diminuir um pouco (mas só um pouquinho) o volume. Bata com "Vivência" em nível máximo.

Dica: se você não prestar atenção no volume e ele baixar demais, acrescente uma colher de "Bajulação"

Assim que ficar bastante cremoso, acrescente os "Sonhos", a última garrafa de "Planos, Trabalho e Realizações" e as "Lembranças" e misture delicadamente. Leve ao fogo brando da paixão por tempo indeterminado. Uma vez pronto, salpique "Aceitação" e sirva quente.
Esta receita deve ficar com sabor de Amor-eterno, cor de Vida-a-dois e cheiro de Quero-mais.

(delicie-se a vontade!)

terça-feira, 12 de julho de 2011

Pergunta explícita nº1


Ao som de "Dream a little dream of me", Ella Fitzgerald e Louis Armstrong

Para esta noite (e para toda a vida) montei uma escada de estrelas até a nuvem mais fofa... pelo caminho vai ter fonte de sonhos e amores infinitos, guirlandas de planos e realizações sem limite, com chuva de pétalas de rosas brancas, rosas e amarelas, perfumes de lírios e chocolate no ar e, no final, no nosso colchão de desejo, brilho de lua cheia e arco-íris (ele insistiu em aparecer, rs)... Vem comigo ser feliz?

(medo da recusa, acredita?)

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Queria viver de você


Ao som de "Endless Love",  Lionel Richie e Diana Ross

O ar já está ficando monótono...
A água já está ficando comum demais...
O verde já está vivendo a mesmice de si...

Quero o novo da vida!
Quero o maravilhoso em realidade!
Quero o intenso em simplicidade!

De que me importa os Jardins Suspensos da Babilônia sem o seu toque no meu corpo?
Qual o interesse pode trazer o Corcovado, o Redentor, de braços abertos, se não tenho comigo o seu calor?
Para que vou querer as ondas do mar, se o sal do seu suor não se mistura ao meu, para que sejamos um só?

Não... quero o doce perfume da sua pele.
Quero, em verdade, acordar escutando o som da sua voz ao meu ouvido...
Eu quero, e quero muito, o sabor da sua boca na minha. E a maciez do seu corpo no meu. E o calor do teu toque no meu. E o clamor da sua voz a me chamar...

Eu queria viver de você e, junto com Deus, todas as outras coisas me seriam acrescentadas,
Pois que a felicidade e a saúde já estariam a meu lado!

(outro momento de inspiração... acho que está indo bem mesmo)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Acho que vou ali encontrar um coração


Ao som de "Need you now",  Lady Antebellum

Passos incertos, meio tontos, meio confusos,
Me levam para um lugar diferente de mim.

Quantas cores, quantas vibrações, quantas flores...

Olhares inseguros, meio fechados, meio enegrecidos,
Me mostram um momento além de agora.

Quantos calores, quantos arrepios, quantos desejos...

Do que você precisa para ser meu? Amor?
Aqui, me tenha por completo que conseguirá todo o amor que precisa.
Do que você precisa para me deixar te fazer feliz? Vida?
Espero que a minha sirva, pois é tudo o que posso lhe dar no momento... e o céu, e o mar, e as estrelas, e...

Pulsares incertos já não intoxicam mais meu coração,
Pois o seu sorrir é o antidoto que eu precisava para sobreviver à solidão.

E quantos sonhos, quantas orações, quantas inspirações...

Sorrisos concretos brotam em meu rosto,
E minhas palavras são sinceras quando digo (ou pelo menos sussurrar ao seu ouvido) fica comigo que eu te quero.

E suspiro, entregue aos sonhos, desejos e esperanças medonhas do porvir.

(um primeiro suspiro de inspiração... acho que é um bom começo)

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Acho que mentimos


Ao som de "Lies", McFly

Suas acusações doem em mim, mas não me perturbam! Contudo, acha mesmo que menti?
É... fazendo uma análise geral, talvez tenha mentido mesmo!
Disse que nada abalaria nossa relação, mas a distancia foi um vilão mais forte. Disse que estariamos juntos na alegria ou na tristeza, mas a tristeza chegou e eu não estava ao seu lado. Afirmei que nossos corações seriam um, mas hoje são como são e, não batem no mesmo ritmo... Prometi estar ao seu lado para sempre, mas esqueci que para sempre é um tempo que não conheço ainda e, portanto, não consegui cumprir.
Ainda assim, também prometi que te amaria, e isso continuo mantendo, porque o amor é uma força maior que o desejo e o contato. É o amor que mantém a amizade e a amizade é a ponte que liga dois corações para sempre.
É... fazendo uma análise cuidadosa, menti pra você em muitos quesitos, menos nesse do qual estou sendo acusado.
Mas agora seguimos nossas vidas, temos propósitos e sonhos... nos esforçamos para conseguir ser felizes. Merecemos mais! E sempre conseguiremos, tenho certeza. O esforço e o tempo cuidam disso.
Contudo, se for verdade o que o ditado popular diz "chumbo trocado não dói", então não tem porque você se sentir ferido, porque prometeu cuidar do meu coração e no momento em que mais precisei, você não estava ao meu lado...

(Como você, apenas escrevendo meus sentimentos...)

domingo, 3 de julho de 2011

Entregando as algemas


Ao som de "Get it right", Glee

Aqui está! Tome esse prato de sopa... deve ser mais saboroso que todos os nectares que tentei lhe dar ao longo desse tempo. É necessário que refaça suas energiar para a nova empreitada no amor... acho que também vou tomar um.
Suas roupas estão lavadas? A mala está pronta? Não... não se preocupe; pode deixar que eu reajeito meu coração para o próximo novo inquilino. Ouvi dizer que a massa "tempo" é excelente para tapar buracos!
Ah! Antes que eu me esqueça, você precisa concertar a fechadura e entregar as chaves... é um procedimento padrão... assim evitamos maiores problemas no futuro. Mas espero não precisar negar essa vaga para você, mesmo que esteja sem inquilino algum.
Aqui... tome. Essas são as algemas na qual pretendia te prender ao meu coração. Não serão mais necessárias! Tenho certeza de que se com o amor você não resolveu ficar, muito menos ficará por obrigação.
Não... não olhe para trás. Vá sem medo de ser feliz ou de me magoar! Afinal, não pensou nisso antes, por que pensaria agora?
De agora em diante, no quadro da vida, o coração está desocupado. As chaves já foram entregues ao imobiliario responsável... pedi para ele ter mais critérios com os próximos inquilinos e que anunciasse a "vaga" mais para frente, pois ainda não usei o tempo na reforma do lugar.
Por hora, vou apenas admirar o vazio e os estragos do coração para ver onde vou precisar ampliar, concertar e pintar...

(caminhando e cantando para não deixar a peteca cair)