Estrelas do meu céu...

terça-feira, 19 de abril de 2011

Um pouco mais...


Ao som de "My All", Mariah Carey

Arame retorcido, curvas, cola, acrílico, adesivo... tudo tão simples para o que expressa em si, assim como os saltos, os movimentos, os encontros e as pegadas... tudo aparentemente simples.
Mas o que é a simplicidade quando feito com "Entrega"? No que se tornam os movimentos quando há vida e arte na composição de cada novo passo?
Os corpos se moviam como num concerto bem orquestrado; a platéia se emocionava e se conectava àquela história comum, com um enredo comum, com um motivo comum... é estranho como buscamos naturalmente a simplicidade, mesmo quando expressa por meio da dança!
E do simples do cotidiano, acreditou-se, com merecimento, que a emoção aliada à tecnica fossem premiadas, e o arame, curvado, colado e adesivado, não era mais um material inútil; é um troféu (o primeiro de muitos, se Deus quiser), simbolizando que as dores, as dificuldades, as noites de ensaio (e os dias e tardes também), os pensamentos e as preces valeram muito a pena!
É emocionante o sabor da vitória! Sem vanglória e sem falsa modéstia. É muito bom mesmo.
Agora vamos nos dedicar um pouco mais...


(para o Grupo de Dança Iluminar e especialmente para a Ju, que me permitiu coreografar, entrou nessa emoção comigo e, juntos, me ajudou a ganhar esse prêmio... Ju, você será inegavelmente minha bailarina para sempre! - de fundo, a música que embalou nossos passos e nossa vitória)

Um comentário:

Caleidoscópio. disse...

Que lindo meu amigo! Parabéns pela premiação e obrigada por dividir conosco suas emoções.