Estrelas do meu céu...

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Conhecendo pessoas - parte I

 
O mundo virtual é fascinante! Cada dia que me permito experimentá-lo, mais gosto de "navergar" por esses mares cibernéticos; a facilidade com que nos conectamos com o mundo todo em apenas um clique; a mega informatização das noticias, desde a ocupação da policia na favela do alemão (RJ) até à atuação dos vizinhos na Tailândia para socorrer uma senhora que tropeçou na rua... tudo vira notícia, todos somos pseudo-reporteres.
E o que dizer do great entertainment que vivemos pela internet? NÃO TEM FIM... tudo é possivel, tudo é imaginável, a diversão não tem limites: quer jogar poker? Pois não! Centenas de sites relacionados te ensinam e colocam em contato com diversos jogadores do mundo todo. Quer ler os últimos lançamentos da literatura e discutir sua leitura? É pra já! Outros milhares de sites te fornecem o download de e-book com seus devidos fóruns e chats para conversar sobre o tema, as personagens, as tramas e as possiveis seqüências literárias. Quer sexo com alguém? Não há problema ou pudor! Dezenas de milhares de sites se abrem para o deleite dos que procuram fetiches, transas virtuais, encontros às escuras e tudo mais que a imaginação sexual possa criar... tudo à um clique!
Enquanto observador do comportamento humano - e isso muito além de ser psicólogo - percebo cada vez mais a necessidade que as pessoas tem de contato e sensações. E vejam bem, não estou dizendo de relações firmes e duradouras, estou dizendo de contato, ser percebido, ser NOVIDADE para alguém, para alguns, para qualquer um. As relações, como eu as entendo, passaram a ser menos duradouras ou quase inexistêntes; não há mais a troca de olhares - a não ser que seu contato tenha uma webcam e não seja timido demais para se mostrar; não há mais o toque - a não ser que você se sujeite a descrever suas sensações físicas na janela da sua paquena no msn; não há mais a percepção da verdade na fala do outro - a não ser que se tente interpretar a entonação que a voz cortada e computadorizada saída da sua caixa de som no momento do bate-papo. As amizades se restringiram em quantas vezes você entra no orkut, cutuca no facebook, no myspace (e quantos mais sites de relacionamento) de outra pessoa no dia; quantas vezes você conversa com alguém pelo msn; quantas vezes você twitta a pessoa!!!
O computador, a webcam, o microfone e todos os outros acessos via internet que temos a pessoas me parecem uma tentativa de "tapar" o vazio que sentimos na busca pela completude utópica; é uma busca pela felicidade que, irrefreavelmente preferimos depositamos no outro à encontrá-la em nós... inside...
Não estou dizendo aqui que utilizar dessas ferramentas seja errado; nada é errado para a mente bem instruída e capaz de suportar as conseqüências das próprias escolhas (e para quem prestou atenção no início, eu disse que estou fascinado com o mundo virtual). Para mim, contudo, não há subtituto para a o "tete-a-tete" , o "rela-rela" da vida real: a troca de olhares, a paquera silenciosa, a paquera explicita, os "ois", "bons dias", "obrigados" falados; ouvir a voz real do outro e perceber se ela te agrada ou não, entender em você o que aquele outro te motiva e sorrir acanhadamente por receber uma cantada discreta ao passar pela rua!
As ferramentas vituais podem "ajudar" no sentido que descrevo acima, mas, para mim, tornaram as relações mais banais para os desavisados, preguiçosos ou "entupidos" de plantão... menos duradouras; meu fascinio, contudo, nesse momento, é tentar fazer diferente e perceber que, com quase 7 anos dque tenho msn, mantenho amigos virtuais que nunca vi desde o início e que sei gostarem de mim, com uma reciproca idêntica, pelos depoimentos e cartas que trocamos via e-mail!!!

(continua galera... mas vão refletindo)

3 comentários:

André Pádua disse...

É exatamente por isso que eu tenho só msn e orkut!

Gosto de viver...

Eder disse...

Adorei seu blog, melhor ainda é saber q faço parte do seu msn...kkkk

Caleidoscópio. disse...

Muito bom o seu texto! Adorei!
Reflexivo... Polêmico até, se levarmos em consideração as opiniões divergentes que a relação via net pode causar.

Compartilho de opinião semelhante a sua. Nada substitue o encontro, o toque, o contato, o calor de dois corpos. Isso é humano! Preciso, olhar nos olhos e ler a expressão facial enquanto converso... Preciso sentir!
A internet amplia as possibilidades de conhecer pessoas e lugares diferentes... Isso, também, me fascina, mas nada se iguala ao coloroso encontro de dois corações num longo abraço.

Preciso exercitar a síntese! Meus comentários dão até postagens! rsrs...
Beijo!