Estrelas do meu céu...

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Frase destrutiva nº 3


Ao som de "Encanto", Sandy e Junior

Pensei ter asas para voar rumo ao horizonte e lancei-me para a imensidão do céu, feliz em pensar que a felicidade estava logo ali ao seu encontro... mas não tenho asas e, quando você se foi (será que realmente esteve aqui em algum momento?), cai em queda livre e espero me arrebentar para não precisar sofrer a dor de não ser verdadeiramente amado novamente!

(doi, doi, doi...)

5 comentários:

Pedacinhos de mim disse...

Sei que irás voltar a acreditar, voltarás a viver cada momento com uma intensidade que agora já nem te lembras mais. Acredito que as coisas aparecem no tempo certo, no tempo em que o coração cicatrizou cada ferida e encontra-se pronto para voltar a amar. O caminho pode demorar tempo, pode ser doloroso mas nada se faz sem luta e nada se tem sem sonhar. Abraço :)

PauloSilva disse...

As asas são demasiado pequenas para suportar os nossos sonhos. Um abraço.

Natália Campos disse...

Tudo sofre, mas suporta também.

Caleidoscópio (Danielle) disse...

Mais que um texto... Um registro da alma.
Lindas as palavras, como tudo o que escreve.
Quem sabe, durante a queda, as asas são concebidas? No mundo dos arranjos textuais, é possível e, às vezes, necessário... Belo, amigo!

Pedacinhos de mim disse...

Mas que texto bom, revi-me nas palavras e na fragilidade das assas quando não seguram os nossos sonhos. Um Abraço :)