Estrelas do meu céu...

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Tiras, fitas e laços


E de repente eu percebi que não fazia sentido estar lá sem a sua presença e que seria estúpido continuar fora dos meus limites, que se tornaram seus limites também. E o ilimitado agora era uma algema e minha vida estava presa à sua de uma maneira regularmente inexplicável.
E minha vida foi costurada com esperança e desejo à sua alma, tendo por agulha bendita o espinho do "será que?"; e minha alegria não era constante pois sempre que estou longe é como se uma tira de minh'alma se soltasse e precisasse ser recosturada quando estamos juntos.
Mas um dia as linhas se acabam e nos restam as fitas e os laços que foram feitos (que ainda e para sempre estarão bem feitos como nós cegos, videntes certeiros de um futuro forçoso e belo)!
E tudo que me era normal tornou-se estranho, como num passo de mágica, e me senti desconectado com o mundo em que vivo, almejando estar no seu mundo e vivê-lo, e amá-lo e esperar que você volte para mim!

(precisando amarrar a ponta que esvoaça ao vento)

3 comentários:

Naiara disse...

As palavras foram tão lindas de se ler que não seu expressar agora!!!

vou divulgar isso demais!!!

Lindo!!!

Lana disse...

Lindo... Lindo... Lindo...Perfeito! É como um olhar que atravessa alma!

Karla Thayse disse...

Que lindo Éverton!