Estrelas do meu céu...

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Para além de tudo o que me consome


Ao som de "Jar of Heart", Christina Perri

Um passo não é suficiente para descrever a caminhada a ser percorrida.
E quão distante se mostra essa caminhada, agora já iniciada...
Terá sido um erro seguir a estrada de espinhos e sertões, naquela bifurcação mais atrás, àquela estrada com flores e borboletas, e bichinhos fofinhos, e perfumes?
Agora tenho medo da solidão, e do frio cortante que varre a estrada deserta... achei que teriam mais pessoas que prefeririam o atalho e, assim, não ficaria sozinho!
E pensar num caminhar de mãos dadas já não faz mais parte dos meus pensamentos, pois que meus braços envolvem a mim para eu não sucumbir à hipotermia.
Contudo, se me deixassem escolher, preferiria mil vezes o frio do vento do inverno ao gelo do meu coração (é assim que me acham... e acho que também concordo).
...
As ilusões trazem uma dor muito mais profunda que a traição ou a morte, porque a ilusão é a morte da realidade e das construções...
Estranhamente não fujo da perseguição ou nego o crime de "leso-sentimento"... mas nesse sentido, quem nunca foi criminoso? E será que meus erros do passado serão todos cobrados agora?
Quanta dor os meus/seus atos ainda causarão a um coração? (apenas um?)
...
Acho que vou sair da estrada, parar no meio do caminho e desejar tomar sorvete de limão com cauda de chocolate! Deixar que o tempo passe.
Quem sabe assim a dor passe com o sorriso instantâneo que surge com os doces da vida?
Espero que o degustar o sorvete não aumente o meu frio...
Espero que o parar na estrada não cave minha cova solitária...
Espero que meu olhar adentre a imensidão da minha dor e consiga tirar de lá a centelha brilhante do meu coração desejoso de amor!

(trabalho e dança... já percebi que esses amores não me fazem sofrer! Vou passar a viver disso...)

3 comentários:

César Cedro disse...

Compreender constantemente. Trabalhar sempre. Descansar, quando se mostre necessária a pausa de refazimento. Parar nunca. (Emmanuel)

Talvez você precise só descansar um pouquinho, sentar na beira da estrada e esperar, pois, talvez outras pessoas já estão na mesma estrada que vocÊ, porém, lá atrás.
Um grande abraço,
César

PauloSilva disse...

«As ilusões trazem uma dor muito mais profunda que a traição ou a morte, porque a ilusão é a morte da realidade e das construções...» - Impossível não ceder às suas palavras. Releio um pouco da minha linha de pensamentos aqui!

Gostei muito, vou seguir!

PauloSilva disse...

É isso meu amigo.
Obrigado!
Um grande abraço!