Estrelas do meu céu...

terça-feira, 28 de junho de 2011

Coração desalinhado


Ao som de "Razões pra sonhar", Sandy e Junior

Um pulsar já não diz mais apenas o que eu desejo... ele também dói.
Dói como uma faca que corta a carne... e arde... e sangra!
Dói como a chama que queima, impiedosa e sedutora!
Dói como um coração arrancado do peito, mas que insiste em bater...

Parece que o destino, se é que ele existe, gosta de me boicotar (eu será que sou eu?)...
Será que a estrada para o "El Dourado", com seus imensos potes de felicidade, é assim tão tortuosa?
Por que as engranagens de um amor quase perfeito não podem simplesmente se encaixar e fazer girar nossa vida juntos?

Um pulsar já não me emociona mais como gostaria... é uma ilusão.
E o muro de sonhos se desfaz ao toque de um sopro,
E mais que os desejos, as realidades parecem ruir...
E as lágrimas de dor se tornam, estranhamente, um alívio (o difícil é chorar!).

E, de repente, brota a esperança (que estranho, rs)...
E ela me diz ao ouvido que meu coração estará na mesma reta de outro,
E que esse encontro vai gerar um amor tão intenso e profundo que nada e tudo serão um só!

E nessa hora, um pulsar será todo o pulsar!
E o todo e tudo serão o amar que tanto espero...
E tudo se completa... e faz colorir os dias por hora cinzentos... e refaz a razão de continuar a tentar!

Um dia, em um momento que espero ser breve, meu coração vai se recalibrar.
Pulsar no mesmo compasso de outro coração... e viver... e amar...
Por hora, me agasalho em cobertores, num casulo, para que o frio não faça-o parar!


(chamando um reboque para lever meu coração para ser realinhado)

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito profundo! As portas se abrem, os muros caem, o sol nasce em dias cinzentos, basta aproveitar a oportunidade e deixar o calor de um coração, que te quer muito, tirar seus cobertores e aquecê-lo, para que não congele o seu e vc perca o presente, que insisti em manter.

Natalia Campos disse...

Bem verdadeiro tuas palavras. Adorei. No fim o sol sempre volta e você não morrerá de frio! Beijos.

Au revoir.