Estrelas do meu céu...

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Maior abandonado


Ao som de "Turning tables", Adele

Hoje acordei mais cedo que o normal. Meus olhos, ao se abrirem, nem se deram conta da escuridão em meu quarto, pois que dentro de mim parecia estar mais escuro... um buraco negro incompetente o suficiente para engolir a alegria e deixar apenas a tristeza.
Fiquei quietinho na cama para que a opressão em meu peito passasse, mas uma torrente de lágrimas irrefreáveis surgiu sem que eu conseguisse detê-la. Que raiva de mim! Quantas vezes vou me enganar dizendo que não vou mais chorar? Deve ser o mal no "gene Pereira Marcelo" (minha família de "manteigas derretidas").
Às vezes é horrível ser adulto, pois vemos nossa vida tomar rumos estranhos e dolorosos: a vida profissional abre mais portas do que conseguimos contar, os abismos da sociedade se abrem sob os pés e temos que arranjar um lugar para nos manter a salvo... e amigos vão embora, outros nos abandonam, assim como os amores que acreditamos estarem conosco para o que der e vier... simplesmente esquecem que diziam "eu te amo" e desaparecem! Quero deitar no colo, ter meus cabelos afagados, enquanto choro as mágoas do mundo.
Será crime continuar querendo abraços e beijos carinhosos, e ouvir um "eu te amo" cheio de desejo e verdade em um momento como esse? É pedir muito ser amado, protegido, acolhido nesses momentos?
Quero ser eu agora! Quero arrancar da face o psicólogo, o espírita, o compreensivo, o amigo, o "família" e viver esse momento de fragilidade como todo ser humano faz e não me permitem fazer...
Estou na minha cama, meu refugio para dias assim, onde o conhecido casulo de cobertor tenta manter meu coração aquecido contra o vento da solidão e da dor... não funciona como um abraço, mas é o que tenho no momento! Isso e a frase que não me sai da mente (provavelmente sugerida pelo meu anjo da guarda, quando estou muito triste): "Não vos importe a ausência da resposta do amor; disputai a honra de amar! (Bezerra de Menezes)".
As sábias palavras de Bezerra me dão ânimo de levantar e seguir minha vida, mesmo que não receba amor e compreensão em troca: eu quem devo amar o mais forte que conseguir.
E enquanto não consigo amar sem ser amado, apenas choro, olho o horizonte imaginando-me cercado de carinho, compreendido e amado...

(diário explicito... doeu escrever!)

6 comentários:

Anônimo disse...

Pois é... a vida tem dessas coisas, mas anime-se, estamos vivos.E, se vivos estamos, aidna temos a chance de poder amar e ser amado. Ame acima de todas as coisas que tem vida... Mas ame com todas as forças até o último sopro. Amém!

Anônimo disse...

"Vem chega perto
Aproxima e chora
Chora porque esconder dor
Com sorriso
E mais triste que lagrima
Encosta!
nao prometo melhora
Mas compartilho e digo
Que pode ficar bem.
te quero feliz!
Se isso te acalma
Estarei aqui
Agora levanta
Levanta que a luz ta entrando
Ergue a cabeÇa e olha
Pra frente
Olha la, que o amor
Ja vem vindo!"

Anônimo disse...

É MTO RUIM QDO ACHAMOS Q TD ESTÁ PERTO DO FIM,E DERREPENTE UM BALDE DE AGUA FRIA VEM E APAGA TODA AQUELA CHAMA,MAS ANIME-SE ACENDA-A DE NOVO E LOGO TUDO PASSARÁ........
VC SABE QUEM ESCREVEU....

PauloSilva disse...

Fico muito feliz em saber isso. Agradeço do fundo deste coração pequeno meu.

Bem sei o que é se esconder nos lençóis sem puder saltar para fora gritando sentimentos. Mas iria incomodar... Aprendi a sair desse casulo, a correr e a respirar esses sentimentos que apenas a mim me dizem respeito. Seja você mesmo, sempre.

Anônimo disse...

Creio que seja um processo de amadurecimento, pelo qual todos passamos. Gostam de dizer "tudo tem o momento certo de acontecer" será que não podemos acertar o tempo e fazer o nosso momento? Pra que esperar? Como diz: "quem sabe faz a hora não espera acontecer..." AS vezes a felicidade pode estar mais perto do que imaginamos e teimamos em querer não encontrá-la! Isso passa, outros dias de sol virão! Flw meu amigo!

Karla Thayse Mendes disse...

Caio já dizia: "E Deus continua sussurrando: "Não desista, o melhor ainda está por vir".

Beijo carinhoso.