Estrelas do meu céu...

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Fio


Ao som de "My reflection", Christina Aguilera

Um turbilhão passou por minha mente quando me vi pelo espelho do banheiro. Achei que fosse ilusão da luz ou meus olhos que ainda não se abriram de fato para o novo dia que nasceu ha algumas horas. Sei apenas que fiquei encarando aquela pequena parte de mim que demonstrava o que vinha acontecendo desde que nasci: um fio de cabelo branco em minha cabeça me dizia que eu estava envelhecendo!
Sei que é o primeiro de muitos (e quero que venham muitos... acho muito charmoso, não acham?) mas este é especial! Como esperei até que chegasse... Queria que tivesse vindo há alguns anos, aos 15 para ser exato, como prova inconteste de que estava maduro o suficiente para ficar até a 1:00 da manhã na balada com meus amigos, ou aos 16, quando quis fazer minha primeira viagem totalmente sozinho e responsável por mim mesmo...
Engraçado como esse pequeno fio branco em uma cabeça cheia de cabelos cacheados e pretos fez diferença para mim. Meu coração disparou e percebi que o nó em minha garganta não era de tristeza, visto que nunca temi a velhice como muitos da sociedade atual, e sim de uma alegria e orgulho indescritíveis.
Para mim, este fio é um sinal de que estou vencendo, entre trancos e barrancos, as dificuldades da vida; um sinal de que a maturidade, mesmo aparente, finalmente me chegou (no momento exato) e que estou pronto para desafios maiores; sinal de que as responsabilidades que estou querendo assumir estão ao meu alcance e que sou eficientemente capaz de vencer (às vezes tinha dúvidas... engraçado como esta pequena "prata" me fez acreditar ser possível)!
A vida não me assusta tanto quanto antes (engraçado, né?!); os amores que tive, ainda me doem, mas não me fazem sofrer por ora. Os amores que vou ter não me farão sofrer porque não vou deixar que aconteça...
Ainda sou o Ton, o Tonton, o Bailarino, o Evérto, o Boizão, o Nego e tantos apelidos quantos recebi ao longo desses 26 anos bem vividos. Também continuo sendo o mesmo sapeca implícito, o mesmo brincalhão, o mesmo sério demais, o mesmo responsável, o mesmo safado e tantas outras definições que recebi nessas trajetórias que percorri... Mas hoje, mais que nunca, me sinto plenamente Éverton, homem em construção, menino em desenvolvimento e Ser Humano comum e complexo, com muito pra viver e aprender, com muito para ser e ajudar outros a serem!

(diário explicito para dizer: Eu, simples assim!)

4 comentários:

chris disse...

adorei o blog.

CYWMARA WADISQUY disse...

SUPERRRR CHARMOSO ;)

É tão bom olhas para trás e fazer essa avaliação...essa ponte de quem fomos e quem somos, crescemos (ISSO É UMA DROGA) criamos esperiencias, e sem perceber, estamos dando conselhos e não sendo aconselhados!

XEROOOOOOO :D

cywmara.blogspot.com

Pedacinhos de mim disse...

Grande texto este o seu, pensamos sempre em ser mais velhos, em termos mais responsabilidades e depois? Depois quando lá chagamos gostariamos de voltar um pouco atrás. Grandes palavras, um texto dos melhores que já li teus. Um grande Abraço :)

Eder Fabricio disse...

Abri um sorrisão por aqui. Os meus não chegaram ainda e nem sei se torço pela chegada, mas adorei a serenidade e a maturidade que se encontra.
Está leve e tranquilo Éverton e transparece isso no seu texto.

Abração amigo.