Estrelas do meu céu...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Marcas tristes de momentos bons


Ao som de "If I knew then". Lady Antebellum

Parece que a vida ri ironicamente das lembranças quando, "sem querer querendo", ouço nossa música na rádio (nossa?). É estranho conceber um mundo de lembranças dolorosas, quando foram construídas em momentos tão gostosos de carinho, cumplicidade e intimidade... ai se eu pudesse parar o mundo, fugir da nostalgia torpe que me invade e explodir-me coração e mente em um milhão de pedacinhos!
Quem sabe assim meu amor não ficasse eternizado em cada partícula de poeira cósmica que navega pelas estrelas incontáveis do universo?! Quem sabe essa chuva galáctica não mostre aos frios corações como é bom amar, mesmo que a dor venha depois?! Quem sabe por alguns milésimos de segundo, quando visse como o céu parece mais estrelado, seu pensamento voltasse para mim e minha fragmentação fizesse algum sentido depois do seu partir...
Meu olhar se perde na janela entreaberta do quarto e me pego tentando lembrar onde ainda guardo os objetos-elos que mantenho desse passado que foi bom, enquanto vejo as nuvens formarem uma leve tempestade em homenagem à música que toca no rádio. Faz sentido guardar o que não significa nada hoje (pra você)?
Descalço as chinelas e vou para fora de casa caminhar sem rumo... andar na chuva torrencial parece bom para misturar gotas e lágrimas, dor e saudade!

(que a chuva leve também esse descompasso no peito desse diário explícito)

7 comentários:

Eder Fabricio disse...

Cada dia gosto mais daqui. Adorei o texto Éverton.
Pura sensibilidade.
Ahh já ia me esquecendo... adoro caminhar na chuva, nunca corro ou me escondo debaixo de arvores. Gosto de lavar a alma.

Pedacinhos de mim disse...

Que texto lindo meu amigo, mostra a sensibilidade de sentir, o amar de uma vida. É sempre tão bom passar por este teu cantinho, és mesmo muito bom. Um Abraço e bom fim de semana :)

PauloSilva disse...

Quando a vida teimar em te virar as costas, pode sempre apalpa-la! É mais justo que atirar uma pedra... Um abraço, amigo.

Supra Sumo disse...

Não tem como ler esse "diário explicito" e não lembrar dos nossos próprios amores; prova cabal de que a dor, como diria o Rubão, é de quem fica!

Abraços

Agostinho Barros disse...

Obrigadooo *-*
Ps: desculpa a demora a responder

::: Novo texto:http://joateba94.blogspot.com/2011/12/parou.html

Luna Sanchez disse...

Tão familiar...

=)

Beijos.

CYWMARA WADISQUY disse...

Meu caro...quem nunca passou por isso, o que é mais agonisante é o fato de que não podemos jogar no lixo as lembraças, esquece-las...
Mas parece que arrumou uma companheira (chuva) para limpar suas lagrimas...

DEPOIS DE TANTO TEMPO AFASTADA (A FACULDADE E CURSO TECNICO E ESTAGIO OCULPANDO TODO MEU TEMPO) EISS QUE TO DE VOLTA...adoruuu ferias \o/ foiii otimo está aqui novamente...

TE CONVIDO A VOLTAR NO MEU BLOG
http://cywmara.blogspot.com/

xerooo grandeee S2