Estrelas do meu céu...

terça-feira, 27 de março de 2012

Suborno Vs Reconhecimento


Ao som de "Unimultiplicidade",  Ana Carolina

Conversando com meu amigo ontem (eu "mais pra lá do que pra cá" de cansaço mental), comentávamos sobre a festa de aniversário dele: os pontos positivos, os pontos negativos, os pontos positivíssimos (rs)... eu praticamente só escutava porque estava sem muito em mente (o cansaço realmente era muito grande). Eis que, durante sua fala, quase um monólogo, ele me diz:

- Sabe Evérto (é assim que ele me chama), no di-dia (ele é um pouco gago) do meu aniver-versário, eu pedi pra do-dona ... (sigilo) para fazer um praato bem grande de churraasco e pão de alho assado e fui ali no quartel levar proos policiais."
- Uai, pra quê?
- Po-porque eu conheço um deles... e-ele fez Karatê comigo. Ai eu fui lá procurando por ele (O-o Cabo ... tá aí? É que eu vim dei-deixar esse prato de chu-churrasco pra ele e pra vocês). E-eles são bacanas. Ai a gente ficou até 3 da ma-manhã com música, de boa...
- Isso é suborno. - disse entre um riso e outro.
- Nã-não é suboorno. É um re-reconhecimento do trabalho que eles estão faazendo. O quarteirão está mais tranquilo...

Ri um pouco mais e continuamos falando sobre outros assuntos até eu voltar pra casa. Mas permaneceu este incômodo.
Todos sabem que, tirando os locais com alvará e permissão concedida antecipadamente, é proibido qualquer tipo de ruído acima de 45 decibéis a partir das 22 até as 7 da manhã (Dec. Lei 292/2000, de 14 de novembro, art.° 10.° do Código Civil). Todos sabem também, com as devidas exceções, que policiais são profissionais arrogantes e cheios de pompa quando o assunto é tentar manter a "ordem", usando grande parte das vezes métodos estúpidos, brutos e pouco eficazes.
Contudo, sem querer levantar a questão se eles terem moral suficiente pra fazer isso apenas por serem profissionais, questionei-me o tempo todo se o fato de terem deixado um tanto de adolescentes e jovens adultos continuarem a algazarra, nos fundos de uma casa, atrapalhando os vizinhos com crianças pequenas e velhos, sem falar nada não estaria diretamente ligada ao fato de meu amigo ter dado um "presentinho" para eles.
Que dentro da polícia (Civil, Militar e Federal) há corrupção, isso não é dúvida pra ninguém, nem para quem gosta de "tapar o sol com a peneira". Contudo, me alertou para o fato de que os grandes crimes e calamidades começam com pequenos atos. Aceitar o churrasco como paga ao "não perturbe minha festa" é apenas o inicio para os subornos nos casos dos tráficos, liberação ao tráfico e outros delitos ainda maiores.
Ora, cumprir com a Lei não é o dever deles enquanto profissionais? Não deveriam eles, mesmo recebendo um agrado, ter chegando e pedido para o volume da música ser diminuído para não atrapalhar os demais moradores da vizinhança?
Meu amigo não teve intenção consciente de subornar os policiais no Batalhão ao lado da casa dele, mas foi o que aconteceu subjetivamente e, mesmo que fosse uma atitude de puro reconhecimento e gratidão pela segurança e tranquilidade que o quarteirão vivia, novamente os mesmos não deveria aceitar senão as palavras de agradecimento, pois que não fazem mais que o seu dever em manter a segurança da população; presentes (mesmo que churrasco) deveria ser dispensado.
Para mim, em termos gerais, houve suborno, mesmo que subjetivo, da parte do meu amigo, como também em outras situações já fiz o mesmo e acredito ser necessário mudar desde que isso chegue à consciência, pois como cobrar dos políticos e lideres se fazemos o mesmo em escala menor?!


(Diário explícito. Não há revolta ou moralismo neste post, caso seja isto que você que me lê esteja pensando. Apenas um momento de reflexão. Para tanto, deixo aberta a discussão e peço que opinem a respeito)

Nenhum comentário: