Estrelas do meu céu...

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Poemeto de dor e confusão


A espera consiste em pausa,
Que o corpo insiste em não querer.
A expectativa vem do medo,
Que a vida inspira quando não se sabe o que fazer!

A pausa requer paciência,
Para que na inércia haja virtude...
O medo ilude as virtudes,
Pelo fazer de poucas atitudes!

As atitudes não são a glória,
Visto que esta vai além de ações.
As ações são a esmola,
De uma vida de solidão!

Estes versos não dizem tudo,
Mas dizem o que passa as vezes em minh'alma...
Dizem um pouco de absurdos,
E de lágrimas, de suspiros e de soluços!

2 comentários:

Naiara disse...

ouvir falar de espera, inercia, pausa...
isso me deixa ainda mais euforica nessa minha nescessidade de fazer tudo de uma só vez! Acho q é por isso q quando paro é para parar de verdade!
gostei de ler estes versos!

A disse...

" A pausa requer paciência".
" O medo ilude as virtudes".

Eis a questão, paciência...

Muito bom este poema, adorei!