Estrelas do meu céu...

domingo, 27 de junho de 2010

Se disserem não...


Se o mundo disser não para seus desejos (ardentes, calientes, comoventes e quantos "entes" desejar na definição), não se preocupe e simplesmente viva... ninguém vai, verdadeiramente, notar se você está ou não feliz com a realização dos seus desejos; geralmente, os "nãos" são hábitos arraigados, vindos de tempos primevos que eles (e também nós) não querem deixar de ter.
Se a vida disser não para seus sonhos (delirantes, reais, enregelantes, ancestrais, premonitórios e assim vai), não se preocupe e continue sonhando... nada, nem mesmo os amores, podem limitar ou precisar a extensão de um sonho ou as consequências dele em nossa vida; assim, para a diversão, emoção, organização ou reverberação, sonhe e deixe sonhar!
Se o medo disser não para seus amores (apaixonites, paixões, namoros, noivados, casamentos ou simplesmente ficadas), entregue-se com mais afinco à esse "todo poderoso sentimento"... apesar de não ter mensuração e ser facilmente confundido com outros sentimentos tantos, nenhum outro pode experienciá-lo em seu lugar e é tal privilégio que torna a vivência do amor um momento único, imperturbável até mesmo para os medrosos profissionais!
Se a dor disse não para você, aceite de bom grado esse não... é na dor deles que conseguiremos recursos pra crescer e desenvolver, assim como as sementes que arrebentam-se para deixar fluir de si a essencia para fazer-se árvore; nem todos os não vem contaminados com o peso da maldade e é preciso ser maduro para aceitá-los conscientemente!
Se os homens (ou mulheres, ou crianças, ou...) lhe disserem não, sorria sinceramente, olhe profundamente, entregue-se verdadeiramente e diga-lhes sim... é o que precisam para serem felizes e desejarem usualmente!

Um comentário:

A disse...

Viver, sonhar, aceitar, mesmo com a força do não, somos sempre capazes de recomeçar sempre!!!! Afinal é isso que fazemos sempre, recomeçamos!